personal coach

A medição do seu jogo, a descrição dos seus pontos fortes e dos seus pontos fracos, é uma experiência tentadora?

Nenhum desporto mediatizado foge à regra, as estatísticas dominam na batalha entre os comentadores de encontros. Mais do que uma ferramenta ao serviço da mediatização do desporto, as statísticas são hoje uma ferramenta ao serviço do desempenho dos próprios desportistas.

No universo do ténis, há já muitos anos, apoiado por diferentes empresas informáticas, o ATP põe à disposição dos melhores jogadores uma grande variedade de informações sobre o seu jogo. O mais ávido utilizador destas estatísticas não era outro senão o meu companheiro de equipa da Taça Davis, Fabrice Santoro (primeiro parceiro técnico da Artengo) que nunca disputava um jogo sem dedicar horas a reunir informações sobre os seus adversários. Ele conhecia todos os pormenores e, assim, conseguia antecipar os movimentos tal como um jogador de xadrez.

A análise das estatísticas no ténis tem duas vantagens principais:

1 – Tomar consciência dos seus pontos fracos

Conhecer os pormenores das suas pancadas e compará-las com os pontos perdidos abre-nos os olhos para as nossas lacunas. “Saber que 38% dos meus drives de esquerda estavam descentrados obrigou-me a rever esta pancada”, disse-me Stéphane D que adquiriu recentemente o Personal Coach. “Quantificar as pancadas feitas durante um treino permitiu-me identificar um limite abaixo do qual eu me recuso a descer com os meus alunos” acrescenta Damien C treinador certificado com quem trabalhámos no desenvolvimento do Artengo Personal Coach “Se não o atingimos, é porque trabalhámos mal ou não trabalhámos o suficiente. Então, continuamos”.

Na minha antiga vida de jogador profissional, na atual (treinador), não me quero contentar com uma análise subjetiva. Preciso de quantificar para corrigir e progredir. Temos a mesma ecessidade: ultrapassar o que detetamos para definir objetivamente os nossos eixos de progresso.

2 – Acentuar os pontos fortes

Todos os jogadores do circuito agem desta forma. E têm razão em fazê-lo, pois sem descurar a melhoria dos seus pontos fracos, a estratégia que consiste em reforçar uma pancada que já tem um bom desempenho terá frequentemente muito mais impacto no adversário. “Saber que ganhava mais pontos no meu segundo serviço que no primeiro, levou-me a reconsiderar o meu empenhamento” disse-me Clément M, -2/6, com quem trocamos bolas frequentemente em Lille. Agora mais à imagem do seu segundo serviço, a percentagem da primeira bola é claramente mais elevada. O mesmo trabalho foi levado a cabo com Estelle L, 15/4 cujo o número de pontos ganhos com a sua pancada de direita era muito significativo. Incitámo-la a virar o mais possível o seu drive de esquerda para pressionar os seus adversários. A Estelle sabia que a sua pancada de direita era boa, mas ignorava a que ponto devia fazer dela uma arma.

Agora ao alcance de todos graças ao Personal Coach, as estatísticas são ferramentas indispensáveis para a sua progressão. Melhorar os seus pontos fracos ou acentuar os fortes, só posso incitar-vos a descobrir a riqueza de uma análise quantitativa e objetiva do vosso jogo.

Até breve.

Nicolas Escude, Gestor de produto Artengo, Ex-jogador N°17 ATP

Quer saber mais informações sobre o Personal Coach, clique aqui

 

VOLTAR PARA O TOPO